Descobrindo Portugal...

Algumas voltas a dar em Portugal

terça-feira, 29 de agosto de 2006

Gerês

Alguns passeios pela zona que é a mais bonita do continente. Nestes passeios poderá ver algumas belas cascatas, barragens e paisagens únicas, paisagens estas de uma beleza inigualável e sempre acompanhadas pelas fontes de água sempre fresca. Estes caminhos exigem uma condução muito cuidada, dado que algumas estradas são extremamente perigosas.

Trajecto 1:
Vila do Gerês->Campo do Gerês->Vilarinho das Furnas->Mata da Albergaria->Portela do Homem->Vila do Gerês

Sugestões:
Vila do Gerês:
Na vila poderá apreciar as termas, o parque natural, fazer umas compras no comércio tradicional e aproveitar para apreciar a bela paisagem.

Vilarinho das Furnas:
Partindo da Vila do Gerês em direcção à Barragem da Caniçada, atravesse-a e siga na rotunda para o "S. Bento da Porta Aberta" e continuando passa pelo "Campo do Gerês". Siga a indicação à Barragem de Vilarinho das Furnas. Estacione o carro no largo aí existente e atravesse a pé a barragem aproveitando para admirar a magnifica paisagem que a rodeia. Após atravessar a Barragem siga a estrada de terra à sua direita. Tenha atenção ao calçado pois a caminhada dura mais ou menos 45 minutos a não ser que tenha moto ou bicicleta que é bem mais cómodo e mais rápido. Ao chegar ao entroncamento vire à direita. A meio passará por cima de um pontão de cimento e aprecie a cascata artificial. Siga sempre por esse caminho até encontrar o que resta de "Vilarinho Das Furnas".

Cuidado com as pedras soltas e escorregadias. Deixe tudo como encontrou e lembre-se que já por ali passaram muitas gerações. Regresse pelo mesmo caminho que fez.


Mata da Albergaria:
Vindo da barragem de Vilarinho das Furnas e antes de São João do Campo, vire à esquerda pela placa que indica Portela do Homem - Espanha e irá encontrar uma estrada de terra. Coloque o contador de Km parcial do seu veiculo em zero e siga as seguintes indicações:

Km Pontos de Interesse
1,6 - Ribeiro Sarilhão.
2,1 - Cabana do Guarda e placa a indicar que entrou na "Mata de Albergaria". (Não poderá parar ou estacionar o carro ao longo da mata, entre as cabanas de controlo)
3,3 - Ao lado esquerdo encontra uma grande mancha de Azevinho, espécie protegida logo, não estragar.
4,0 - Ponte de madeira sobre o ribeiro do Pedrado. Junto a ela alguns marcos milenares.
5,5 - Mais marcos milenares à direita.
5,8 - Fonte da Balsada ao seu lado direito.
6,4 - Ponte de madeira sobre o Rio Macieira.
6,6 - Casa da Albergaria.
6,9 - Cruzamento, siga pela estrada de "Portela do Homem" (3Km).

Portela do Homem:
Após passar pela cabana de controlo, estacione o carro. Faça a pé o caminho de volta até à ponte sobre o rio Homem (onde terá passado na ida) e aproveite para tomar banho e tirar umas fotos numa das mais conhecidas cascatas do Gerês.

Poderá ainda aventurar-se por terras espanholas e ir até "Torneros", uma nascente de água quente. Para isto siga até à fronteira e atravesse-a sem problemas. Siga a estrada, agora já em espanha e, ao fim de mais 3 km, encontrará ao seu lado esquerdo mais marcos milenares e um bom pedaço da antiga estrada Romana (Geira). Siga novamente pela mesma estrada até chegar a "Torneros", primeira povoação Galega. Atravesse a ponte e vire à direita até chegar a uma espécie de piscina. Trata-se de uma nascente de água quente que se mistura com o rio. Aproveite para descontrair e passear. O regresso é feito pelo mesmo caminho.

Trajecto 2:
Vila do Gerês->"Cascatas do Tahiti"->Ermida->Cascata do Arado->Pedra Bela

Sugestões:
"Cascatas do Tahiti":
Este é um dos locais com paisagem mais bela do Gerês mas só lá chega a pé. Não perca uma visita a este local onde se encontra uma das mais bonitas e maiores cascatas do Gerês.

Partindo da Vila do Gerês, siga em direcção à Barragem da Caniçada. Poucos metros á frente encontrará um entroncamento à esquerda com a indicação "ERMIDA". Vire nessa direcção e siga por essa estrada que tem tanto de apertado como de belas paisagens, mas com cuidado e atenção redobrada. Após andar sensivelmente 5 km (esteja atento), vai encontrar um entroncamento à sua direita com uma placa florestal a indicar "Cabril". Vire à direita e siga por esse caminho, mas com cuidado. Enfrentará algumas descidas bastantes acentuadas até chegar a uma ponte sobre o Rio Arado. Junto a ela tem indicação do PNPG. Estacione a viatura e prepare-se para uma descida alucinante a pé.


Opte por descer pelo lado direito da ponte e encontrará uns moinhos abandonados e algumas pequenas quedas de água que formam belas lagoas onde pode se refrescar. Se não tem vertigens continue e desça pelo caminho meio escondido pelas giestas e silvas. Aviso que se vai cansar um bocado até chegar ao fundo, mas vale bem o esforço. No fim encontrará uma lagoa rodeada de areia e poderá observar uma das mais belas e maiores cascatas do Gerês, onde poderá tirar magníficas fotos e refrescar-se de forma a ganhar forças para o caminho de volta, que é o mesmo, só que um pouco mais de esforço.


Poderá continuar mais um pouco por essa estrada até à próxima ponte, onde encontrará outro local onde se formam belas lagoas.


Cascata do Arado:
Volte até ao cruzamento onde seguiu a direcção Cabril e tome o caminho da direita em direcção a Ermida. Suba sempre por essa estrada até encontrar um entroncamento com as indicações "Pedra Bela" à esquerda e "Cascata do Arado" à direita. Tome o rumo da direita e siga o caminho com o rio à sua direita até à ponte que faz a ligação com as duas margens.

Atravesse a ponte e estacione o carro. Avistará umas escadas que dão acesso ao miradouro da "Cascata do Arado".

Aprecie a beleza da mesma. Se tiver calçado apropriado e espírito aventureiro, continue a subir até ao alto onde poderá observar um pequeno riacho que desagua no Rio Arado e outra bela cascata mais acima com belas Lagoas. Consoante a altura do ano poderá tomar um belo banho refrescante nas águas límpidas.

Pedra Bela:
Retemperadas as forças, volte ao carro e faça o caminho inverso até ao entroncamento e siga em direcção à "Pedra Bela". Siga sempre pela estrada, aproveitando para desfrutar do verde que o rodeia e com um pouco de sorte avistará alguns "Garranos" à solta. Chegando ao alcatrão, vire à esquerda e poucos metros acima encontrará um dos belos miradouros do Gerês. A "Pedra Bela". Cuidado se tem vertigens.

Regresse novamente ao alcatrão e desça sempre até à Vila do Gerês.


Trajecto 3:
Vila do Gerês->Cabril->Fafião->Xertelo->Barragem da Paradela->Outeiro->Pitões das Júnias

Sugestões:
É uma caminhada bastante cansativa e deve ser feita logo pela manhã. Saindo da Vila do Gerês siga o caminho como se fosse para as "Cascatas do Tahiti". Siga para Cabril, passando pela aldeia do Fafião, que têm ruas tão estreitas quanto bonitas. Siga em direcção à "Barragem da Paradela" e Outeiro. Em Outeiro siga em direcção a Tourém e, alguns km depois, vire à esquerda seguindo as placas que o levarão até "Pitões das Júnias".

Quando chegar a Pitões das Júnias siga em direcção ao cemitério (à esquerda), passe por ele e siga pela estrada menos própria para consumo até chegar a um largo de terra batida. Estacione aí o carro e desça então pelo caminho à esquerda que o leva directamente ao Mosteiro. Vá apreciando o enquadramento da paisagem. Observe a Igreja e o cemitério abandonado. No caminho da entrada do cemitério vire à esquerda e vá até ao moinho, atravessando a ponte. A partir daqui tem duas opções, mas antes disso olhe para o relógio. O passo seguinte tem tanto de belo como de cansativo. Se tiver na hora do almoço ou perto dela, recomponha primeiro o estômago e só depois avance para a caminhada seguinte. São algumas horas a caminhar no duro.

Partindo do largo de terra batida, siga pelo caminho da direita que vai ter a um rego (levada de agua) e siga sempre por esse caminho rodeado de de carvalhos. Vá descendo até encontrar um género de miradouro onde pode observar ao fundo a enorme queda de água e tirar umas belas fotos.


Para seguir para baixo, siga em direcção ao caminho de onde veio e, qdo vir, no entroncamento, pintado numa rocha a indicação para seguir o caminho por onde veio à direita, siga pela esquera por entre o trilho estreito ai existentes de forma a contornar a rocha tornando a inclinação inferior e vá sempre apreciando as pequenas quedas de água e o leito do rio aí existentes. Quando chegar ao fim desta descida, encontrará o rio e o local onde se precipita toda aquela agua. Observe a altura da mesma e impressione-se. O caminho de regresso é o mesmo.


Caso só esteja interessado en ver a cascata, siga o caminho indicado pela placa de madeira existente no largo onde estacionou (Cascata) e, quando chegar a um largo com cujo chão é um rochedo, siga pela esquerda (tem um caminho em boas condições em frente, mas que o levará ao cemitério) até encontrar nova placa da PNPG a indicar para seguir pela direita.






Pode encontrar aqui mais algumas informações sobre estes passeios.

3 Comments:

At 31 agosto, 2006 17:00, Blogger NePPEr said...

Que pena tenho de não ter ido convosco até ao Gerês, mas na altura não dava mesmo tinha a minha hérnia para cuidar :(. Quanto ao blog está excelente, belíssimas sugestões e com muita informação. Continuem assim ;).

Rui Queirós
www.olhares.com/rpqueiros

 
At 18 dezembro, 2006 12:04, Blogger GV said...

finalmente encontro um blog que promove a descoberta. Apesar de nunca seguir rotas e à conta disso passar por situações de "aperto" (estradas estreitas e sem saída, derrocadas não assinaladas), encontra-se nesta paisagem a inspiração que se precisa, a harmonia, o sossego de povoações que não vivem no stress que afecta quem vive nas grandes cidades. É uma vida de qualidade, confirmo.
Quem chega à aldeia de Fafião, acima da barragem de Salamonde, tem duas opções: Pedra Bela, ou Paradela. Opto sempre pela segunda, pois o caminho atravessa várias paisagens que considero únicas. Aconselho paragens frequentes, subam um monte, contemplem cada pedaço de beleza pois no fim da viagem vão sentir que ali deviam ficar. Na sexta-feira, 8 de Dezembro, a paisagem moldou-se de neve. Durante cerca de uma hora e meia nevou. Tornou a estrada perigosa, a visibilidade reduzida, mas valeu por não ser um cenário que estamos habituados a viver.
O trajecto que fiz: EN103, direcção de Chaves - Barragem de Salamonde - Fafião - EN308, Paradela, Xertelo (agora escolham o destino)

Boa viagem!

 
At 12 janeiro, 2007 12:22, Blogger Filipe Mota Pires said...

para os adeptos das verdadeiras caminhadas, uma notícia muito boa: o PNPG vai cobrar uma taxa aos automibilista não residentes/naturais que queiram aceder à mata de albergaria...FINALMENTE
convite para visitarem o meu blog:
http://filipemotapires.blogspot.com

 

Enviar um comentário

<< Home